Publicado por: Renan Accioly Wamser | novembro 19, 2007

Carona

Taxi Driver

       Sempre penso que meu irmão e eu não nascemos dos mesmos pais. Acho que nossa única semelhança era jogar videogame e brigar todo dia. Ranieri, um nome um bocado estranho, sempre apresentou uma fisionomia pujante com um vigor físico superior ao meu pelo menos uma dezena de vezes. Assim como aconteceu comigo, minha mãe nos obrigava a estudar todo dia, e com ele o efeito do estudo não durou muito tempo. Devia ser pelas bandas da minha 6º série e da 8ª série dele. A moda das matinês – boates para jovens – se iniciou lá em Goiânia nessa época e todos tinham quase obrigação de freqüentar tais ambientes para se encaixarem no modelo de popularidade da época. 

      Caminhando pelos corredores daquele imenso colégio de padres, a vida era pacata, quase sempre havia sol iluminando aqueles pátios de concreto e cegando nossa vista. Era sempre ali perto da portaria que um cara me abordava. O nome dele era Julio, também conhecido como Papa-éguas, era filho de um dos professores do colégio e freqüentador assíduo das chamadas matinês. Apesar da sua boa reputação, ele tinha um semblante estranho, se embelezava demais para um garoto da 6ª série e falava grotescamente fino. Achei que poderia ser coisa da minha mente. 

      Nesta fase, meu irmão já estava consumido pelas idéias de boates e diversão barata. Ele e o garoto grotesco todo dia ficavam entregando aqueles panfletos das boates juvenis, onde tinha de vender cinco deles para poder entrar de graça. Essa idéia de servir de panfleteiro sempre me pareceu a maior das cretinices. Você serve de otário na frente do seu colégio promovendo o local para ganhar um ingresso que não terá um custo sequer pra eles. É a mesma história de pegar um TAXI, à medida que você entra nele você já levou uma bicuda na bunda, ai você olha para o taxímetro e à medida que o carro anda os chutes vão ficando mais e mais fortes e na hora de sair você já não consegue mais andar.

        O boato chegou ao meu ouvido. Papa-éguas, um dos maiores pegadores de garotas da época, tinha um passado sombrio e muito estranho para um garoto daquela idade. O infante havia sido internado e tratado há algum tempo atrás por um motivo que eu nunca entendi direito. Diziam que ele tinha tendências homossexuais e gostava de abraçar demais seu coleguinhas, então seu pai, o professor de artes e matemática, resolveu interna-lo para tratar de seu suposto problema, e o pior, ele voltou curado e muito bem ativo. Além de acharem que homossexualismo é uma doença, um cara ex-gay estava pegando mais meninas do que todos os outros bastardos do colegial.

       Meu irmão ainda seguia naquele mundo bizarro, era todo final de semana uma festa nova. Começou a subir de posto e passou de panfleteiro a divulgador. Era conhecido demais naquela região por suas andanças festivas. Depois dessa época, não existia mais estudo ou qualquer outra coisa que sua vida dependesse. Era dinheiro, mulheres e festas. Agora percebeu que a diversão é um pouco superficial demais. Dos quinze aos vinte e dois anos, que é sua idade atual, ele entrou em um desses malditos TÁXIS e até hoje não conseguiu sair.

Anúncios

Responses

  1. Então, minha irmã vai casar.
    Acho que se não fossem algumas semelhanças físicas com minha irmã, também poderia dizer que não somos parentes.

    Ela sempre foi barraqueira. Eu sempre fui mais na minha. Ela não é capaz de ler um livro. Eu devoro tudo que vejo pela frente.

    Não há o que se possa fazer. Recebemos a mesma educação de nossos pais. Mas sempre tem que ser diferente, se não perde a graça.

    E brigar com irmãos é legal ás vezes.

  2. Ele tomou um táxi e disse “siga aquela ruiva” e nunca mais voltou ? Ou virou motorista de táxi ? Não conclui ! rsrs.. Sabe qu eteus textos tem muito de uma nostalgia contagiante ? rs…

  3. oO

  4. Malditas flores essas ai do lado. Vou ter que trocar de template.
    =T

  5. Eu odeio panfleteiros.

  6. kakakaakakkakakaka
    caveraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: