Publicado por: Renan Accioly Wamser | outubro 17, 2007

Sala de aula

Sala de aula

Ninguém está salvo das maldições do mundo. É um processo em que todos devem passar. Em algum momento da sua vida você vai se tornar um fodido. Tão fodido quanto um pintinho sem uma lâmpada para lhe aquecer. Basta sair andando por essas ruas, que você verá homens roubando outros que tem menos ainda, mulheres lindas com maridos asquerosos que tem aquela pança no alto de seus olhos e aquele bigode amarelo de comida ainda fétida do almoço. Isso pode acontecer mais rápido para alguns e pra outros demorar uma eternidade, mas nem que seja em um maldito caixão, você será um fodido.

      Se não me engano foi na 6ª série. Nós ainda usamos o uniforme mais ridículo do colégio. Era aquele lilás desbotado que nos confirmava como os maiores bastardos daquela escola. Já não bastando este fato, ainda tínhamos as companhias mais desagradáveis na sala de aula. Todos já estudaram com uma companhia desagradável, mas esses foram feitos para serem uns malditos pestes. Baiano era o melhor deles, tinha uma fisionomia desgastada com milhares de enormes espinhas na sua cara e um cabelo loiro escorrido. Os outros eram Rafael Gentil e Felipe Guilherme, aqueles sim emanavam ódio a todos que lhe encaravam.

      Convivendo diariamente com aqueles tipos você até se acostuma. As garotas babam por esses e as considero da mesma laia. Nós não tínhamos muita coisa o que fazer além de aceitar a nossa rotina cansativa e esperar tocar o intervalo da próxima aula. Foram milhares de sinais durante toda a minha vida. Escutar aquilo é como se você sentisse cada pessoa pisando na sua cabeça e enfiando toda aquela inutilidade goela a baixo. Tinha dias ruins e dias bons. Éramos um grupo de amigos de cinco pessoas que já foram seis. Alguns carregavam as características de perdedores, outros não Mas convivíamos bem e sabíamos nos defender.

     Lembro-me da primeira vez que o avistei. Uma cara diferente,sabe. Ele tinha aquela força e respeito que nós já havíamos perdido. Um cabelo loiro liso e uma pele branca que me lembrava àqueles alemães que eu via nos filmes do Van Damme. Já na aula ele sentou do meu lado e resolvi verificar se ele era aquilo que pensava.

— Meu deus! Essa aula está uma grande merda – eu disse

— Nem me diga. E o pior é que ele solta toda essa merda pela boca.

— Estamos fodidos.

— F-O-D-I-D-O-S – exclamou em alto e bom som.

     Naquele banco de couro que ficava na ante-sala de detenção eu pude perceber que ele era um grande cara. John Duck era o nome dele. Ele sim seria o cara mais fodido que eu conheceria e o meu melhor amigo.

Anúncios

Responses

  1. Cara brigado pelo texto cara
    vc e um irmao cara me fez lembra de coisas q
    fazia tempo q nao pensava mais me fez lembra do
    kuanto nos eramos fodas nakela escola por ser tao
    diferente dos fudidos q abitavam akele mundo
    vlw por td meu irmao

  2. O pior de tudo é achar que nunca vamos ficar fodidos.

  3. Nunca estamos fodidos o suficiente.
    à princípio pensei que você ia falar mal da nossa sala, como de costume.

    Gostei do texto, dá até uma saudade dos meus tempos de sexta série.

    Estou com os teus remédios, espero que agora cuide-se.

    Beijo

  4. Missão pra ti no meu broguê


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: